Sessão Solene da Câmara acontece dia 9 no Ciaei

Cerimônia vai homenagear 13 pessoas com os títulos “Esportista do Ano”, “Cidadão Benemérito” e “Cidadão Indaiatubano”

27/11/2017

A Câmara de Indaiatuba realiza dia 9 de dezembro, às 8h30, na Sala Acrísio de Camargo, Sessão Solene de entrega dos títulos “Esportista do Ano”, “Cidadão Benemérito Dr Caio da Costa Sampaio” e “Cidadão Indaiatubano”. Essa é a primeira vez que a sessão ocorre fora do Palácio Votura, sede do Poder Legislativo de Indaiatuba. A Sessão Solene da Câmara é aberta a toda a população, terá a participação dos 12 vereadores da Casa e irá homenagear 13 pessoas.  

Após a Sessão Solene, no Ciaei, a Prefeitura realiza a entrega dos títulos “Funcionário Padrão” e “Medalha João Tibiriçá Piratininga”. Todas as homenagens fazem parte das comemorações dos 187 anos de Indaiatuba.

O título honorífico “Esportista do Ano” abre a manhã de homenagens, com a participação do atleta Marcelo Crhis Correa, que recebe a honraria das mãos da vereadora Silene Silvana Carvalini.

Na sequência, a cerimônia passa a entregar os títulos de “Cidadão Benemérito Dr Caio da Costa Sampaio”, criado para homenagear cidadãos que nasceram em Indaiatuba e se destacaram pelos serviços e ações dedicadas ao Município.

O primeiro a ser homenageado com essa honraria é Caio Antônio do Amaral Sampaio, que recebe o título das mãos do vereador Alexandre Carlos Peres. O segundo homenageado será Carlos Pignatelli, que recebe o título por iniciativa do vereador Edvaldo Bertipaglia.

 

Cidadão Indaiatubano

A última parte da cerimônia, contará com 10 homenageados, e será marcada pela entrega do título “Cidadão Indaiatubano” a  Eduardo dos Santos (homenagem prestada pelo vereador João de Souza Neto, o Januba da Banca), Pedro Moreira de Souza (título concedido pelo vereador e presidente da Câmara Hélio Alves Ribeiro), Jorge Ribeiro da Silva Júnior (Luiz Alberto Pereira, o Cebolinha), Bruno Arevalo Ganem (Alexandre Carlos Peres), Edmir Deberaldini (Luiz Carlos Chiaparine), Makoto Anbe (Célio Massao Kanesaki), Maria Nogueira de Oliveira Lima (Silene Silvana Carvalini), Antônio Sposito (Jorge Luis Lepinsk, o Pepo), Giuseppe Mirone (Adeílson Pereira da Silva, o Figura) e José Pellegrino Neto (Edvaldo Bertipaglia).

Todos os homenageados recebem os títulos por unanimidade, ou seja, o projeto foi aprovado na Câmara de Indaiatuba, com votos favoráveis de todos os vereadores da Casa.

 

Confira abaixo os currículos dos homenageados

 

Título Honorífico “Esportista do Ano”

MARCELO CRHIS CORREA (Silene Silvana Carvalini)

Marcelo

O esportista Marcelo Crhis Correa tem representado Indaiatuba em diversas competições no Brasil e no exterior, como o Ironman Brasil, ocorrido em Florianópolis, dia 28 de maio de 2017. Segundo ano consecutivo que Marcelo participa da Ironman Brasil, representando a cidade de Indaiatuba. Em 2016 competiu na categoria M/40-44 e completou a prova superando as expectativas, que eram de 12 horas, finalizando no tempo de 11h19min53seg. Este ano, na categoria M/45-49, conseguiu se superar, baixando o tempo para 10h28min40seg e garantindo uma vaga na etapa do Ironman Itália, em Cervia, cidade da região da Emília-Romagna, província de Ravena.

No Powerman Brasil, prova realizada em Indaiatuba no dia 20 de agosto, o duatleta Marcelo Crhis Correa que foi o terceiro lugar na prova Classic, categoria 45-49 anos, confirmou presença para a competição europeia em setembro em Zofingen, na Suiça.

 

Título Honorífico “Cidadão Benemérito Dr Caio da Costa Sampaio”

1)      CAIO ANTONIO DO AMARAL SAMPAIO (Alexandre Carlos Peres)

Caio

Caio Antônio do Amaral Sampaio é natural de Indaiatuba. Nasceu em 14 de fevereiro de 1961. Filho de Caio da Costa Sampaio (in memoriam), dentista, que teve uma vida social muito ativa e participou das atividades políticas do município de Indaiatuba, sendo eleito e reeleito vereador municipal por 23 anos e tendo presidido o Legislativo Municipal durante seis anos.

Sua mãe, Maria Theodora Campos do Amaral Sampaio, professora aposentada, formou-se em Educação Artística e Artes Plásticas e lecionou em Indaiatuba, na Rede Pública Estadual de Ensino.

Caio Antonio estudou no Grupo Escolar Randolfo Moreira Fernandes e no Colégio Estadual Dom José de Camargo Barros, onde concluiu o ensino fundamental. O ensino médio foi realizado na Escola Preparatória de Cadetes do Exército. Graduou-se em Engenharia Civil pela Universidade Estadual de Campinas — UNICAMP. Na mesma universidade realizou o curso de pós-graduação, sendo-lhe conferido o título de Mestre em Engenharia Civil na área de Recursos Hídricos e Saneamento.

Recém-formado, iniciou suas atividades profissionais no Serviço Autônomo de Água e Esgotos de Indaiatuba (SAAE) em janeiro de 1984 e permaneceu até dezembro de 1988. Retornou à autarquia em agosto de 1995 e trabalhou até agosto de 1998. Trabalhou na Prefeitura Municipal de Cosmópolis, de setembro de 1998 a janeiro de,2003. Retornou ao SAAE em fevereiro de 2003 e, desde então, permanece na autarquia, no cargo de Diretor de Departamento, à frente do Departamento de Projetos, onde atua na elaboração e coordenação de projetos de saneamento para a nossa cidade.

Teve importante participação na concretização de diversas obras, podendo-se destacar a Estação de Tratamento de Esgoto Mário Araldo Candello, inaugurada em 2010, e a Barragem do Rio Capivari-Mirim. Trabalhou na Fundação Indaiatubana de Educação e Cultura (FIEC), onde exerceu o cargo de Professor, ministrando aula no curso Técnico em Edificações, durante o período de 01 de fevereiro de 2001 a 16 de julho de 2003. Atuou, também, como profissional autônomo, na elaboração de projetos e como consultor na área de saneamento básico. Recebeu a Medalha Leonor de Barros Camargo em dezembro de 2008, que lhe foi conferida pela Fundação Pró-Memória de Indaiatuba e pela Academia Brasileira de Arte, Cultura e História.

Casado com Sônia Maria de Oliveira Sampaio, técnica de enfermagem e tecnóloga em gestão de recursos humanos, tiveram dois filhos: Rafael de Oliveira Sampaio, arquiteto e urbanista formado pela USP São Carlos, e Nayara de Oliveira Sampaio, nutricionista pela USP Ribeirão Preto.

 

2)      CARLOS PIGNATELLI (Edvaldo Bertipaglia)

Carlos

Carlos Pignatelli, nascido em Indaiatuba/SP, no dia 11/07/1949, filho de João Pignatelli e Ana Brolo Pignatelli, é casado com Aparecida Frizarini Pignatelli. Pai de Carolina Frizarini Pignatelli Cato, Daniel Frizarini Pignatelli, Carlos Frizarini Pignatelli e avô de Davi Souga Pignatelli.

Começou a trabalhar muito cedo. Em 1962, aos 12 anos ingressou na Textil Judith S.A, tradicional empresa indaiatubana. Durante esse tempo, até os 16 anos, trabalhava na empresa e aos finais de semana atuava como engraxate na Praça Prudente de Moraes, que era um ponto de encontro da juventude da época. Os rapazes que frequentavam a praça para paquerar as moças eram seus clientes.

Pignatelli teve uma carreira também como jogador de futebol, em campos e quadras de Indaiatuba e outras cidades da região. Os times pelos quais atuou foram:

- CISA, Galo, XV de Novembro e Primavera (Indaiatuba), na modalidade Campo.

- Irmãos March (Itu), na modalidade Futsal.

- RCA (Rafard), na modalidade Futsal.

- Usina São Bento (Capivari), na modalidade Campo

- Monsenhor Couto, Eucatex (Salto), nas modalidades Futsal e Campo.

- Ponte Preta, Guarani (Campinas), na modalidade Campo/Categoria Juvenil (com o treinador José Duarte).

Recebeu da Federação Paulista de Futsal, o prêmio de “Dirigente do Ano” por seu trabalho à frente da Tejusa. No período em que esteve à frente do time, de 1977 a 2014, como presidente, a Tejusa ganhou inúmeros campeonatos, como a Taça EPTV de futsal na categoria adulto. Representou e trouxe títulos para Indaiatuba nos Jogos Regionais, além de vários títulos em campeonatos organizados pela Federação Paulista de Futsal.

Ao longo dos anos, o clube também revelou muitos craques para o Futsal Mundial e até jogadores de campo: Deco (que recentemente se aposentou e disputou Copas do Mundo pela Seleção Portuguesa), Nano (jogou na seleção de Futsal da Itália), Xande e Daniel Ibanez (jogaram pela seleção espanhola de Futsal), Flávio, Ferrugem, Vander Carioca; entre outros.

No ano de 1992, após 30 anos trabalhando na empresa Textil Judith, Pignatelli se desligou para em 1993 assumir o cargo de Secretaria Municipal de Esportes, que ocupou até o ano de 1996.

Durante esse mesmo período, de 1993 a 1996, também presidiu a Faici e em 1994 foi Presidente dos Jogos Regionais. Durante 16 anos, Pignatelli coordenou o evento Brazilian Country Night, que tinha toda sua renda revertida a instituições de caridade de Indaiatuba.

Foi responsável também por uma outra inovação na cidade: trouxe para cá, através da Tejusa, o hábito de se realizar bailes do Havaí em vários ambientes. Até então, todos os clubes da cidade faziam em apenas um salão. Os bailes do Havaí dos clubes de Indaiatuba são sempre muito prestigiados pela população e o molde implantado por Pignatelli permanece até hoje nos clubes que o realizam.

O homenageado participou também da criação do Sereno, inicialmente fundado como um time de futebol, que também possuía um bloco de carnaval. Após a saída de Pignatelli para comandar um time da fábrica Textil Judith, o time do Sereno se desfez, continuando apenas como escola de samba, assim permanecendo até os dias atuais.

Atualmente Carlos Pignatelli ainda contribui com assuntos da cidade. Participa na Câmara Municipal, de um grupo de empresários que juntamente com os vereadores Edvaldo Bertipaglia e Hélio Ribeiro, formam a Semana Municipal do Empreendedorismo e lnovação e o “Bairro Empreendedor”.

 

Título Honorífico “Cidadão Indaiatubano”

1)      EDUARDO DOS SANTOS (João de Souza Neto - Januba da Banca)

Eduardo

Eduardo dos Santos nasceu em Riba de Baixo (Penacova-Portugal). Aos 12 anos foi a Lisboa para aprender o oficio de mecânico, profissão que exerceu a vida toda. Durante a 2ª Guerra Mundial, ao completar 21 anos, foi convocado para servir o Exército da cidade do Porto, no quartel de Engenharia, sendo transferido para diversos locais, e permanecido no Exército por dois anos e meio. Nunca foi convocado para combate, mas permaneceu trabalhando na parte de Engenharia, como mecânico, até deixar o quartel.

Em 4 de maio de 1946, casou-se com a Sra Elisa Alves de Jesus, com quem teve uma filha, Maria Aurora Santos Alves. Dotado de espírito aventureiro, embora bem estabelecido em Portugal, resolveu mudar-se para o Brasil. Chegando ao Brasil em 1951 direto para Indaiatuba.

Tendo como sócio o cunhado Daniel Alves, abriu a Oficina "Alves e Santos", onde trabalha como mecânico. Posteriormente separam a sociedade e ele continua com a oficina, como único proprietário, por 20 anos.

Indaiatuba foi a cidade que escolheu para viver e constituir família; sempre amou Indaiatuba pela forma que acolheu todos que buscam aqui um lugar para viver, e pela grandeza de seu progresso, que ajudou a construir.

Foi desbravador do Bairro Cidade Nova, onde por incentivo do então Prefeito Jacob Lyra, adquiriu lotes e construiu sua primeira casa, onde vive até hoje. Nesta época, a cidade tinha como última casa, o seu imóvel, localizado próximo ao Posto Imanishi e Gomes.

Sempre procurou integrar-se na sociedade indaiatubana, participando de todos os eventos promovidos, sejam eles beneficentes ou sociais. No Indaiatuba Clube, foi um dos primeiros sócios, sendo frequentador assíduo dos seus bailes.

Porém, sua maior paixão, era a bicicleta. Participou de muitas provas ciclísticas e passeios, tendo conquistados inúmeros prêmios. Conseguia sempre ficar entre os três primeiros colocados, elevando sempre o nome de nossa cidade.

Dentre seus troféus destacamos:

- 1ª Medalha que recebeu por participar do 1° passeio ciclístico de outono — DEET — em 24 de abril de 1983, com 64 anos.

- Passeio Ciclístico Caloi e Passeio Nossa Senhora da Candelária em 1988, aos 69 anos.

- Homenageado na prova 1° de Maio de 1988, com o troféu "Personalidade da Corrida”.

- Participa do passeio ciclístico Nossa Senhora da Candelária em 1999 (20.01.99)

- No passeio ciclístico Nossa Senhora da Candelária, recebeu três troféus: em 18 de janeiro de 2001, em 18 de janeiro de 2004 e em 9 de Janeiro de 2005. Em 15 de Janeiro de 2006, no mesmo passeio, recebeu o troféu de “Ciclista mais Idoso”. Também foi homenageado em 2007 e 2008 (troféu de "Ciclista Mais Idoso"). Em 2009 é agraciado com o troféu Passeio Ciclístico Nossa Senhora da Candelária, aos 90 anos.

- Em 2010, pela comemoração dos 180 anos da Paroquia Nossa Senhora da Candelária, recebe o troféu "Ciclista mais idoso", já com 91 anos de idade.

É um admirador e incentivador do ciclismo em nossa cidade. Participativo, é respeitado e querido por todos, tendo um nome honrado e voltado para o trabalho, a família e o ciclismo. Afirma amar Indaiatuba, tendo auxiliado o Município a chegar no patamar em que chegou, razão pela qual, é justa e relevante a homenagem.

 

2)      PEDRO MOREIRA DE SOUZA (Hélio Alves Ribeiro)

Pedro

Pedro Moreira de Souza é o fundador da Cia. de Reis São Francisco de Assis, fundada em 1987, por ele, que também é chamado do "Goiano" a pedido do Padre Piaza, da Comunidade São Francisco de Assis, localizada no Bairro Cecap I. Pedro encantou-se com a Cultura de Reis desde os sete anos de idade.

Nascido em Minas, levou a cultura por onde passou: Goiás, Paraná e desde 1975, em São Paulo, mais exatamente em Indaiatuba. 0 mais relevante a se destacar é que Indaiatuba, de cultura popular, só tem o Carnaval e atualmente o grupo de jongo "Filhos da Semente". Ou seja, a Cia. Fundada pelo Sr. Pedro foi, portanto, a 2ª. manifestação popular acontecida e com registros em nossa cidade. Em uma cidade que cresce vertiginosamente, é de muita relevância homenagearmos um líder que tentou manter essa manifestação da cultura popular em nosso município.

Como grupo, ele já viajou por diversas cidades do interior, como Mococa, São Carlos, Cordeirópolis, Porto Ferreira, Santa e Santa Cruz das Palmeiras; entre outras. A folia de Reis, também conhecida como Reisado, é uma festa popular brasileira de caráter religioso (católico). Também considerada de caráter folclórico (espécie de folguedo). Ela é realizada entre o período do natal até o Dia de Reis (06 de janeiro).

Na Folia de Reis, grupos organizados de pessoas saem pelas ruas da cidade, visitando as casas, tocando músicas populares e entoando cânticos bíblicos em homenagem aos reis magos e ao nascimento de Jesus. Junto com os músicos vão pessoas vestidas com roupas de personagens ligados ao tema da festa.

Alguns aspectos tradicionais da Folia de Reis foram trazidos para o Brasil no final do período colonial (provavelmente no começo do século XIX), pelos portugueses. Porém, de acordo com estudos da cultura popular, esta festa tem sua origem na Espanha. A porta de entrada foi o nordeste brasileiro. Porém, no Brasil, a Folia de Reis ganhou traços culturais particulares, incorporando aspectos da cultura brasileira.

Um destes exemplos está presente na música, com a presença das batidas típicas dos tambores africanos. Vale dizer também que a Folia de Reis possui traços particulares em cada região do Brasil. Pedro Moreira de Souza é uma pessoa que conhece quase todos esses traços, sendo muito querido por vizinhos, amigos e todos aqueles que têm a oportunidade de conviver com ele.

3)      JORGE RIBEIRO DA SILVA JÚNIOR (Luiz Alberto Pereira/Cebolinha)

Jorge

Jorge Ribeiro da Silva Júnior nasceu em Presidente Prudente (SP). Veio para Indaiatuba em 1959, município que reside há mais de 57 anos. Graduado em Direito Pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC) em 1972, tornou-se advogado, profissão que exerce até os dias atuais com paixão e comprometimento.

Casou-se com Vera Lúcia Lui Ribeiro da Silva e dessa união tiveram três filhos: Jorge Ribeiro da Silva Neto, Marcos Ribeiro da Silva e Rogério Ribeiro da Silva.

Foi professor na Escola de Comércio, assessor da Fundação Indaiatubana de Educação e Cultura (FIEC) e da Câmara Municipal de Indaiatuba.

Participou ativamente como membro do Clube 9 de Julho e Indaiatuba Clube. No ano de 1982 foi eleito vereador, vindo a tomar posse no ano de 1983 permanecendo até 1988, onde desenvolveu várias atividades de grande valia para nossa municipalidade.

 

4)      BRUNO AREVALO GANEM (Alexandre Carlos Peres)

Bruno

Bruno Arevalo Ganem mudou-se com a família para Indaiatuba, ainda muito pequeno, aos seis anos de idade. É natural de São Paulo, nasceu em 15 de setembro de 1986. Filho dos empresários Raul Ganem Júnior e Clarice Carassol Arevalo Ganem. Cresceu nos bairros Jardim Olinda e Jardim Regina. Estudou nas escolas estaduais Randolfo Moreira Fernandes, Aurora Scodro Groff, Colégio Monteiro Lobato, Dom José de Camargo Barros e Colégio Objetivo.

Foi escoteiro entre 1994 e 2007, com o Grupo Escoteiro lndaiá, onde criou com amigos o "Grupo Associação a Vida", cujo lema era "Plante uma árvore e colabore com o Brasil". Aos 14 anos teve seu primeiro contato com a política municipal, quando encaminhou uma reivindicação para a instalação de um orelhão público no Jardim Regina.

Aos 17 anos foi cursar Engenharia de Produção na Universidade de São Paulo (USP), onde participou ativamente da Poli Jr. (empresa Júnior da Escola Politécnica da USP), realizando consultorias técnicas e projetos, sendo eleito Diretor de Mercado.

Em 2007 fundou em Indaiatuba o "Movimento Jovem", que tem o intuito de melhorar Indaiatuba com a inserção do jovem no meio político e social. Foi do Movimento Jovem que surgiu o desejo de se filiar ao Partido Verde.

Foi também em 2007 que criou seu primeiro abaixo-assinado, solicitando a instalação de câmeras de segurança na cidade. Foi eleito vereador aos 22 anos, em 2008, com 1055 votos. Em seu primeiro mandato apresentou 15 Projetos de Lei, dos quais se destaca a Lei da Bituca, que obriga restaurantes, bares a fornecerem cinzeiros defronte ao estabelecimento. Foram 308 indicações e 1771 ofícios.

Desde o início de seu mandato assumiu uma postura próxima de seus eleitores, fazendo encontros nos semáforos da cidade e nos bairros, reunindo mais de 20.000 sugestões. Organizou 50 reuniões de cidadania na Câmara de Vereadores, debatendo assuntos como meio ambiente, segurança, saúde, e educação, entre outros.

Criou a Comissão Metropolitana de Viracopos (2009) e a Comissão Popular de Trânsito e Transporte (2011). Em 2012, foi o vereador mais votado da cidade, com 6.202 votos. Até dezembro de 2015 foram apresentados 57 Projetos de Lei, dos quais se destacam as leis sobre a criação do Sistema de Calçada Ecológica, sobre a instalação de assentos para os usuários em estabelecimentos bancários e a celebração do Maio Amarelo, campanha para redução dos acidentes de trânsito. Foram 375 indicações, 1697 ofícios e 24 requerimentos.

Casou-se com Cintia Rohde, farmacêutica e bioquímica, em janeiro de 2013. Mora com a esposa, atualmente no Jardim Santiago. Nesse mesmo ano criou o Conselho Bruno Ganem, que teve como objetivo auxiliar nas decisões de sua legislatura como vereador, assim como mandar sugestões e reivindicações.

Iniciou, também em 2013, seu ciclo de palestras sobre a lei de crimes ambientais, explicando o artigo 32, que denuncia a violência contra os animais de uma forma geral. Com o apoio das manifestações populares conseguiu mobilizar a Câmara para a criação da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do BVA.

No final de 2013, chegou a ser o político brasileiro com o maior número de seguidores no Facebook, com cerca de 1 milhão de seguidores. Em 2014, foi candidato a deputado estadual, obtendo 50.124 votos, sendo 32.726 de Indaiatuba. Recebeu votos em quase todas as cidades paulistas, totalizando 491 municípios.

Tornou-se presidente municipal do Partido Verde em março de 2016, e membro da Executiva Estadual do Partido Verde em maio. Em 31 de julho de 2015, anunciou sua pré-candidatura à Prefeitura Municipal de Indaiatuba.

Logo em seguida, em outubro de 2015, realizou o Fórum “Planejando o Futuro de Indaiatuba”, tendo a segunda edição do evento em maio de 2016, lotando o auditório da Câmara Municipal, registrando a participação de cerca de 500 pessoas.

Em 2016 participou das eleições municipais como candidato a Prefeito, totalizando 51.358 votos. A coligação Indaiatuba Quer Mais, da qual fazia parte, elegeu os vereadores Alexandre Carlos Peres (SD), Arthur Machado Spíndola (PV) e Ricardo Longatti França (PRP) para a legislatura de 2017-2020.

 

5)      EDMIR DEBERALDINI (Luiz Carlos Chiaparine)

Edmir

Edmir Deberaldini é natural de Taquaritinga (SP). Nascido em 19 de novembro de 1953, iniciou seus estudos no I.E.E. "Nove de Julho", em Taquritinga, cursando ali do primário até o fim do segundo grau. Após passagem de um ano por Ribeirão Preto, ingressou na Faculdade de Ciências Médica da Universidade Estadual de Campinas, onde em 1978 completou o curso de Medicina, na 11ª  Turma da Unicamp.

Em novembro de 1978, iniciou seu trabalho como médico plantonista do Hospital Augusto de Oliveira Camargo, atividade que mantinha em paralelo com a Residência Médica junto à Maternidade de Campinas.

Em abril de 1981, na época residindo e clinicando em Jaguariúna, recebeu convite do Dr. Renato Riggio para mudar-se para Indaiatuba e trabalhar com ele. Convite aceito, passou a exercer nesta cidade a atividade de Médico Ginecologista, mantendo ainda plantões no Pronto Socorro e iniciando plantões na Maternidade do Hospital Augusto de Oliveira Camargo.

A convite do Dr. Luís Antonio Pedrina, passou a dividir com ele o consultório mantido na "Clínica Integrada", à época na Rua Padre Bento Pacheco. Posteriormente, como sócio, inaugurou em 1988 o prédio na Av. Presidente Vargas, um dos primeiros na cidade a ser construído exclusivamente para uma Clínica Médica.

Indaiatuba foi a cidade escolhida para trabalhar, viver e criar a sua Família. Casou-se com a Dra. Elizabeth Rigo Deberaldini em 1979, na cidade de Ribeirão Preto e aqui nasceram dois de seus três filhos, onde permaneceram até irem para as faculdades, que escolheram. Hoje os três (Eduardo, Ricardo e Alexandre) estão casados e apenas o Ricardo reside em Indaiatuba.

Foi plantonista da Maternidade do HAOC por 27 anos. Também exerceu as funções de Diretor do Pronto Socorro, Diretor da Maternidade, Diretor Clínico e Diretor Técnico da Instituição.

Em Indaiatuba, participou da Fundação da APM Regional, uma iniciativa do Dr. José Roberto Provenza, que à época coordenava o Centro de Estudos do HAOC. Na APM participou oito anos da Administração direta, sendo presidente por dois mandatos e Diretor Financeiro por mais dois anos, sendo que ao término entregou o prédio atual da APM para uso, sendo presidente nesta data o Dr. José Inácio Travizzanuto.

 

6)      MAKOTO ANBE (Célio Massao Kanesaki)

Makoto

Makoto Anbe nasceu em 9 de março de 1949, na província de Hiroshima, Japão. Juntamente com os pais Hifumi Anbe e Takayo Anbe e a irmã Kurumi, imigrou para o Brasil, desembarcando no porto de Santos no dia 17 de janeiro de 1953. Como os familiares do avô paterno residiam em Indaiatuba, seu pai escolheu as terras dos Indaiás para recomeçar a vida.

Morou em várias propriedades rurais, sempre auxiliando os pais nas atividades agrícolas. Concluiu o ensino fundamental (grupo escolar e ginásio) e o ensino médio (científico) nos estabelecimentos públicos Grupo Escolar Randolfo Moreira Fernandes e Colégio Estadual Dom José de Camargo Barros.

Como bolsista da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa, cursou Matemática na PUC- Campinas de 1969 a 1972. Durante a sua vida acadêmica lecionou no Colégio Comercial Candelária e exerceu o cargo de vice-diretor do Departamento de Jovens da ACENBI.

Assim que terminou a graduação iniciou o programa de mestrado na UNICAMP (1973 a 1974) e assumiu a docência no Colégio Estadual Dom João Nery em Campinas. Iniciou a carreira de magistério superior em 1974, a convite da PUC-Campinas, para exercer o cargo de professor titular de Cálculo Diferencial e Integral nos cursos de Engenharia Civil.

Também lecionou nos cursos de Arquitetura e Urbanismo, Engenharia Sanitária e Engenharia Ambiental. Participou da Banca de Elaboração de questões da Prova de Matemática dos Concursos Vestibulares de 1990 a 1996, foi coordenador de departamento, orientador de alunos e membro organizador das Semanas de Estudos. Durante sua carreira de docente de nível superior foi professor homenageado e paraninfo por mais de 12 vezes.

Deixou a PUC-Campinas no ano de 2012 quando se aposentou. No ano de 1975 casou-se com Hiroko Guiboshi e tiveram as filhas Agnes Yuri, Miwa e Lika.

Em 1978 assumiu compromisso com a Universidade Metodista de Piracicaba para atuar como Professor Mestre nos cursos de Engenharia Industrial, Engenharia de Produção Mecânica, Engenharia Química, Engenharia de Alimentos e Arquitetura e Urbanismo até o ano de 2008.

Exerceu o cargo de Conselheiro Fiscal da ACENBI nos anos de 1985 e 1986. Atendendo a uma solicitação do Prefeito Municipal de Indaiatuba, fez parte do 1° corpo docente da FIEC em 1986. Ocupou o cargo de secretário da ACENBI nos anos 1987 e 1988. Neste período, integrou a comissão que elaborou o projeto e conseguiu a concessão de uso, por 30 anos, do terreno ocupado pelas quadras de gate-ball.

No biênio seguinte foi 1° vice-presidente e membro atuante nas realizações dos concursos "Miss Colônia Indaiatuba" e concursos regionais de "Miss Colônia Centro Oeste" realizados em Indaiatuba. Como presidente interino, comandou a participação da ACENBI na 1ª FAICI. De 1991 a 1992 foi vice tesoureiro e nos dois anos seguintes exerceu o cargo de presidente da APM da escola de língua japonesa da ACENBI. Durante o seu mandato, juntamente com sua diretoria, elaborou o Regulamento Interno da Escola e com auxílio da Diretoria Executiva da ACENBI e criou um fundo poupança destinado à melhoria da escola.

Também, como membro, participou da comissão que estudou e elaborou o projeto de adequação e melhoria do Centro Esportivo. Indicado pelo Prefeito Municipal e promulgado pelo decreto n° 5.560 de 20 de fevereiro de 1995, foi membro do Conselho de Curadores da Fundação de Amparo ao Desenvolvimento Tecnológico de Indaiatuba, cujo mandato se encerrou em 31 de dezembro de 1996. Nestes dois anos, ocupou o cargo de 1° vice-presidente da Associação.

Foi relações públicas de 1997 a 1998 e 2° vice-presidente de 1999 a 2000. Como um dos representantes da ACENBI se empenhou na criação da Associação das Entidades Étnicas de Indaiatuba que foi fundada em 16 de dezembro de 1999.

Fez parte das duas primeiras diretorias corno vice-presidente de 2000 a 2003. Presidiu a comissão que reformulou e adequou o Estatuto e o Regulamento Interno da ACENBI.

Nos anos 2001 e 2002 foi relações públicas e participou dos estudos e elaboração do projeto do novo prédio da escola de língua japonesa. Em 2003 assumiu a presidência da ACENBI. Imbuído pela vontade de retomar a construção da escola que estava parada há algum tempo por falta de verba, procurou incessantemente alternativas que viabilizassem a sua retomada, pois o montante financeiro necessário era muito grande.

Na primeira quinzena do mês de agosto de 2004 retomou a construção, e em quatro meses, a toque de caixa, concluiu a tão almejada obra. Assim, no dia 12 de dezembro de 2004 foi inaugurado o prédio da Escola de Língua Japonesa com o nome de Centro Educacional da ACENBI Miyoji Takahara.

Adequou o Estatuto e o Regulamento Interno da ACENBI ao novo Código Civil. Foi membro da primeira diretoria da Associação Brasileira de Taiko, fundada em 2003 e o grupo Ryuu Taiko da ACENBI participou do 1° Campeonato Brasileiro de Taiko em maio de 2004. Presidiu o Conselho Deliberativo de 2005 a 2006 e o Conselho Administrativo da Escola de 2007 a 2008. Desde 1985 ocupou algum cargo na diretoria da ACENBI e hoje faz parte do Conselho Deliberativo.

7)      MARIA NOGUEIRA DE OLIVEIRA LIMA (Silene Silvana Carvalini)

Maria

Maria Nogueira de Oliveira Lima, conhecida como “Irmã Tesinha”, mudou-se com seu esposo e filhos a serviço da igreja Evangélica Assembleia de Deus de Indaiatuba, uma vez que o marido, Raimundo Soares de Lima, pastoreia a igreja em Indaiatuba desde 5 de novembro de 1978.

Maria Nogueira de Oliveira Lima é mãe de Rubenita Oliveira Lima Souza, Ruben Oliveira Lima, Rubeneide Oliveira Lima Fernandes, Robenilton Oliveira Lima, Rubenelda Oliveira Lima, Rubeneuton Oliveira Lima, Ruberlene Oliveira Lima dos Reis e Ruberleide Oliveira Lima Campanha.

Sempre exerceu suas atividades na igreja, auxiliando nas atividades pastorais no ensino, orientações às famílias, aconselhamento, líder de mulheres e coordenando as atividades de eventos e refeições da Igreja.

Participou como vice-diretora da Creche Evangélica Assembleia de Deus por um período de 19 anos e atualmente como vice-diretora do CEEC- Centro Evangélico de Educação e Cultura desde 1999. Recebeu diversas homenagens da Igreja Evangélica Assembleia de Deus.

 

8)      ANTÔNIO SPOSITO (Jorge Luis Lepinsk/Pepo)

Antonio Sposito

Nascido em 26/02/1964, na cidade de Osvaldo Cruz (SP), Antônio Sposito tornou-se um dos maiores empresários da indústria alimentícia do interior paulista. Mais conhecido como Toninho da Croissant, é filho de Vitorio Spósito e Antonia Crevelin Spósito, com quem morou 18 anos ao lado de mais 7 irmãos.

Sua precoce vida profissional teve início aos 10 anos, onde trabalhou duro como agricultor, e com muito custo concluiu o segundo grau, pois aos 15 anos destacou-se no futebol e queria parar os estudos para jogar profissionalmente. Porém, por falta de condições e aconselhado pelos pais, não seguiu a carreira nesta profissão tão almejada.

Aos 18 anos iniciava uma nova etapa em sua vida, casando-se com a Sra. Benedita. Foi pai aos 22 anos e até os 25 sua labuta foi na lavoura e pecuária. Galgando novas oportunidades, em 1989 mudou-se para cidade de Campinas/SP, com sua esposa, três filhos e uma mala. Por não ter um bom currículo profissional, enfrentou trabalho duro em uma cerâmica por seis anos, mas nunca desanimou e sempre acreditou, sonhou e buscou.

Em 1995 começava mais um desafio em sua vida, o de ser empresário. Montou restaurante, bares, cantinas e fábrica de salgados até o ano de 2002, em Campinas, e como ele mesmo diz "já quebrei tanto nessa vida, que se houver outra, virei como Ortopedista". Brincadeiras à parte, o fato é que sempre teve que trabalhar, tendo vendido até mamão em um caminhão.

Em 2002, Sr. Antônio e família foram acolhidos pela cidade de Indaiatuba. Desde então, nasceu a empresa CROISSANT & CIA, na época com cinco funcionários. Sempre com uma visão empreendedora e globalizada, o Sr. Antônio e a empresa cresceram, e em 14 anos em nossa cidade conseguiram uma posição respeitada de liderança no ramo alimentício de vendas e distribuição de salgados congelados.

Então a história mudou, e aquele "peão" de outrora, tornou-se patrão, gerando 160 empregos diretos e mais de 500 indiretos, ajudando sempre as instituições de Indaiatuba e sendo amigo de todos, antes de ser um “empresário”.

 

9)      GIUSEPPE MIRONE (Adeílson Pereira da Silva/Figura)

Mirone

Giuseppe Mirone nasceu na cidade de Catania localizada na Sicília (Itália), em 27 de novembro de 1945 e passou a residir em Indaiatuba no ano de 1950. Casou-se Leopoldina Jansen Mirone e têm três filhos: Thalita Jansen Mirone, Giuseppe Jansen Mirone e Lucas Jansen Mirone.

Formado em Agronomia pela Universidade do Estado de São Paulo (UNESP), no ano de 1970, e também em Engenharia de Alimentos pela UNICAMP no ano de 1975, atualmente é empresário no ramo agropecuário e imobiliário. Sócio proprietário da Pimenta Holding, empresa proprietária das áreas da Fazenda Pimenta, atua como diretor, coordenando trabalhos de construção de galpões industriais, loteamento residencial, bem como planejamento urbanístico para futuro desenvolvimento imobiliário.

Por intermédio da Pimenta Holding, concedeu a área onde foi construída a Escola Senai de Indaiatuba, bem como colaborou na construção do seu prédio, doou a área onde atualmente está a Escola APAE no Bairro Pimenta e concedeu uma área de 75 mil m2 para a instalação da rede elétrica de alta tensão que foi indispensável para a instalação da fábrica Toyota em Indaiatuba.

Destaca-se pela sua responsabilidade ambiental, pois 200 mil mudas de árvores já foram plantadas nas áreas da Fazenda Pimenta em parceria com a Prefeitura Municipal de Indaiatuba, Toyota, Unilever, Canson, Senai, APAE e Cosan; entre outras.

Grande colaborador da APAE Indaiatuba, atualmente é membro da diretoria e atua como tesoureiro da referida associação.

 

10)   JOSÉ PELLEGRINO NETO (Edvaldo Bertipaglia)

Pellegrino

José Pellegrino Neto, nascido em Bauru-SP, reside em Indaiatuba há 36 anos. Casado com a Indaiatubana Sandra Helena de Genaro Pellegrino, tem sete filhos. Com formação superior em Química, iniciou sua carreira na empresa Unilever, na cidade de São Paulo, em 1972. Em 1981, quando a empresa decide se instalar na cidade, se muda para Indaiatuba.

Durante seu primeiro ano na cidade, enquanto não possuía moradia, ficou hospedado no Hotel Alvorada, tradicional hotel da época. Passado esse ano, adquiriu sua casa própria. Após algum tempo, é procurado por um grupo de empresários interessados em abrirem uma empresa no ramo de tratamento e beneficiamento de jeans.

Em 1990, fundam a empresa NIPPON CHEMICAL na cidade de São Paulo, porém com toda mão de obra saída de Indaiatuba. Todos os dias, um ônibus saia da cidade levando os funcionários e ao final do expediente os traziam de volta. Em 1994 os proprietários mudam a empresa para Indaiatuba, em um prédio alugado no Bairro Recreio Campestre Joia, que está sendo devolvido esse ano, após quase 23 anos de atividades.

Atualmente a sede da empresa é no Distrito Industrial João Narezzi, em um complexo com 7500 metros quadrados. Pellegrino possuí ainda uma outra empresa no ramo veterinário, a SWEET FRIEND, que mantém um dos melhores laboratórios de microbiologia do País. As duas empresas empregam 150 pessoas na cidade.

O homenageado é fundador e foi presidente durante cinco gestões da Creche de Proteção e Amparo Jerônimo Mendonça. Hoje, a creche chama-se Creche Profa Martha Stenerfruit. Pellegrino conta que parte do que as empresas arrecadam, são destinadas à creche. A NIPPON CHEMICAL possuí o selo da ABRINQ, sendo considerada uma empresa “Amiga da Criança”.

Nenhum colaborador da creche é remunerado por ela, porém muitos deles são funcionários das empresas do grupo. A creche não foi criada para atender os filhos dos funcionários, mas sim crianças necessitadas da sociedade em geral.

Pellegrino acredita que suas empresas têm esse dever social de retribuir ao munícipio uma parcela do que ele conquistou aqui, através da geração de empregos, contribuição social e cultural.

As empresas ainda mantem um projeto cultural, chamado "Acácia Amarela", Projeto que busca contribuir para a ampliação das oportunidades de criação e circulação dos bens culturais, através de financiamento de novos autores, para a permanente construção da memória cultural nacional. Até hoje, o projeto já beneficiou aproximadamente 50 livros. Pellegrino faz parte da Academia Campinense de Letras.

Ainda na área cultural, o grupo patrocina eventos culturais na cidade, eventos da comunidade japonesa; entre outros.  Pellegrino é autor de um livro chamado "História de um Velho Maçom", lançado em 2012. Além disso, diagramou várias outras obras.